Um é pouco... Dois é bom... Cinco é o máximo!

Em minha postagem anterior, comentei que estava organizando minha mudança de casa e que já aconteceu há um mês. Publiquei algumas fotos para meus amigos e que replico aqui – passados 30 dias, já coloquei cortinas, quadros e outros objetos de decoração.

O lugar é bem agradável; o sol iluminando todos os ambientes; o vento arejando o apartamento todas as manhãs; a rua bem mais tranquila que o bairro em que eu morava; na esquina uma ótima padaria e uma praça muito agradável, onde passeio todas as manhãs com o meu cãozinho. A vista de noite parece cartão postal... Estou amando!

Antes de decidir me mudar, éramos dois: meu pet e eu. Depois, adotei o gato que minha filha deixou, quando da viagem dela para o exterior. Aí, veio meu filho, ficar por uns tempos aqui em casa, depois de um tempo fora do país. Agora, veio morar comigo minha mãe, porque ela inspira cuidado e atenção...


Somos cinco dividindo o mesmo espaço: O gato dormindo sobre uma cômoda, parecendo uma bola de pelo, ou então se escondendo no closet... 

O cachorro esparramado numa caminha confortável, num canto da sala. E, ainda, três gerações convivendo, cada um com sua rotina, seu modo de pensar, sentir e se organizar. Por isso que eu digo que é o MÁXIMO!!

Foi um grande desafio adaptar os ambientes para acomodar todos. Meu filho, com seus livros, CDs, DVDs e eletrônicos ocupando um espaço considerável. Minha mãe, com seus poucos pertences – o que me surpreendeu foi o desapego dela de vários objetos, roupas e mobília, o que era minha preocupação inicial, pois ela já está numa idade bem avançada e, deixar para trás memórias, poderia causar sofrimento e ansiedade. Claro que foi feito todo um preparo para que ela se sentisse bem, com o mínimo de estresse possível.

Quanto a mim, há muito que venho adotando o ‘ter menos’.  Nesta nova morada o espaço é um pouco maior e, quando ‘destralhei’ minhas coisas na outra casa, percebi que 30% do que eu tinha guardado, eu não precisava mais – então, resolvi descartar e doei a maioria. Levo a certeza de que posso me desfazer de muito mais. Assim, fica fácil limpar, manter a ordem e poder me dedicar a outras atividades.

É um grande aprendizado descobrir que podemos nos adaptar a novas situações, sem atropelos e sem estresse – apenas usando critérios na otimização e organização dos ambientes, setorizando, tornando mais funcional e prático o acesso a todas as coisas.

Para mudar é preciso querer e, também, respeitar um certo período de adaptação, seja na mudança de hábito, de casa ou no modo de pensar. E, para que isso ocorra com tranquilidade, o planejamento e a organização são fundamentais, visando o bem-estar de todos.

O próximo desafio é preparar a casa para receber minha filha, quando ela vier me visitar daqui a alguns meses... Sempre cabe mais um, quando se mantem ‘o necessário, somente o necessário’.

E você, tem muita dificuldade para se desapegar dos objetos para liberar espaço? 

Já sabe, se precisar de um Profissional de Organização para ajudar, Yorganiza é uma boa opção.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Um comentário:

  1. Desejo muita saúde, paz, alegria e tudo que há de melhor pra você grande guerreira, junto a seus entes queridos, nosso porto seguro1

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem? Dúvidas em organização?
Deixe aqui seu comentário.

Visualizações

Agradecimentos

Ari Hollaender - consultoria em Marketing

Marcadores

Voltar ao topo