Dê atenção a seu cliente!


Clientes gostam de ser lembrados, mesmo que tenham sido atendidos há algum tempo! Nesta postagem compartilho e conto como tem sido minha experiência ao enviar pequenos mimos a essas pessoas, no dia de seu aniversário.

Mensagem gravada de uma cliente, agradecendo meu presentinho

Para esta postagem, inspirei-me no título de um artigo no Linkedin: Dê atenção a seu cliente. Ou ele irá buscá-la em outro lugare que o autor replica um fragmento de seu livro Você, um grande negociador, onde diz que o objetivo de todo profissional é – ou deveria ser – estabelecer um relacionamento de longo prazo com seus clientes.

Certificado e comemoração no encerramento do curso do SEBRAE
No ano passado, participei do curso Personal Organizer Empreendedor, promovido pelo SEBRAE em parceira com a ANPOP – Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade.

Nas aulas de Marketing, ministradas pelo simpático instrutor Luiz Mauro, o que mais me marcou foi a orientação de que era importante sempre manter contato com os clientes que foram atendidos em qualquer época, pois seria mais fácil trabalhar alguém que já foi cliente do que conquistar um novo, já que esse cliente conhece seu trabalho e pode ser um propagador de seus serviços.

E, na época, analisando o que eu vinha fazendo, eu sempre mantive (e continuo mantendo) contato com todos os clientes que atendi prestando consultoria ou serviço de organização e, também, com pessoas que me procuraram e continuam me procurando para um orçamento, uma visita de avaliação ou um contato por WhatsApp, pois elas podem se tornar futuros clientes, ou até mesmo para lembrá-las que continuo em atividade no mercado.

No início deste ano, resolvi enviar uma mensagem aos meus contatos perguntando o dia de aniversário de cada um e anunciei que eu enviaria um presentinho quando a data estivesse próxima.

Ao receber a 1ª resposta de um dos nomes de minha lista, percebi que a data de aniversário dessa pessoa estava bem próxima e comecei a pensar com o que eu poderia presentear. Tinha que ser algo neutro, leve, prático e não muito grande e, ainda, que estivesse dentro de meu orçamento, porque o retorno das mensagens enviadas estava sendo muito bom.

Pelo fato de minha mãe gostar de fazer crochê – isso passou a ser uma terapia ocupacional para ela –, tive a ideia, então, de sugerir que ela fizesse uma bolsinha de crochê que eu tinha como modelo.

Minha mãe é uma senhorinha de 93 anos, bastante lúcida e capaz. Ela ficou bem animada com a ideia de fazer as bolsinhas... Comprei vários novelos de lã e a ‘linha de produção’ começou.
Senhora idosa fazendo saquinhos de lã no crochê
No envelope, endereçado ao aniversariante, além do mimo coloco meu cartão de visitas e um cartão postal da coleção do livro ‘Você é incrível’, projeto da Redede Mulheres Empreendedoras (RME) em parceria com a Joalheria Pandora, que trazem mensagens inspiradoras –  a venda dos livros beneficia mulheres brasileiras, ajudando-as a alcançar a independência financeira.

Quando se encanta o cliente, o resultado não poderia ser melhor. Foi para mim uma alegria imensa saber que os que receberam meu presentinho ficaram muito felizes, e minha mãe bem contente.

Abaixo, alguns depoimentos recebidos de meus contatos e que preservo seus nomes para não expor sua identidade:

---------- Forwarded message ---------
Date: sex, 22 de fev de 2019 às 09:44
Subject: Re: Gente especial tem presente no aniversário
To: Yorganiza <yorganiza@gmail.com>
Bom dia Yolanda!
Desculpe pela demora..., mas decidi responder por e-mail... queria ter mandado um cartãozinho pelo correio para você e sua mãe d. Yvone, em agradecimento pelo lindo e útil presente!
Muito obrigada e minha admiração por sua mãe!! Que graça ela deve ser!
Mando beijos e um grande abraço para vocês.

---------- Forwarded message ---------
Date: sáb, 9 de mar de 2019 às 11:13
Subject: Agradecimento
To: <yorganiza@gmail.com>
Bom dia Yolanda,
Recebi seu presente e agradeço muito a lembrança e a atenção.
Achei uma graça e fiquei feliz em saber que você tem sua mãe com você.
Que Deus abençoe vocês!
Obrigada

Mensagem de texto enviada pelo WhatsApp:

Imagem de mensagem de texto do WhatsApp


Foto minha com o casal Suzy Rêgo e Fernando Vieira


A queridíssima atriz Suzy Rêgo, que atendi na organização de um home-office / quarto de hóspedes, enviou-me a foto de seu presente – e tenho a alegria de publicar aqui, com sua autorização.

Foto do saquinho de lã feito no crochê e cartão postal, cumprimentando pelo aniversário
@suzyrego
Vi nessa iniciativa uma forma de dar atividade pra minha mãe, colaborar com a causa da ONG que dá empoderamento às mulheres e, principalmente, agradar meu cliente e manter o relacionamento de longo prazo, como recomenda o autor do referido artigo, fruto de minha inspiração.

E, você? Que tal enviar uma cartinha, um cartão postal ou um presentinho para seus amigos e pessoas queridas no dia do aniversário?

Comece fazendo uma lista com os nomes das pessoas que merecem sua atenção, escreva algumas linhas num cartão e envie pelo correio – prática pouco usual hoje em dia, mas que agrada sempre que o carteiro bate à porta e diz: Correspondência para você!

São pequenas mudanças de hábito que fazem do mundo um lugar melhor para se viver!
Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

Gravidez, profissão e rotina da casa

O período de gestação é a fase mais linda da vida de uma mulher: um serzinho está sendo formado no útero protegido e a futura mamãe passa por um momento de transformação física e emocional. Fora isso, tem sua carreira e as atribulações do dia a dia... como lidar com isso?
Casal grávido e o parceiro acariciando a barriga da mulher
Banco de Imagens Pxhere
Mesmo que o companheiro ajude na manutenção e conservação da casa, a mulher continua tendo sobrecarga de atividades, principalmente aquelas que trabalham período integral. Quando engravida, então... precisa pensar como serão os 9 meses que virão pela frente!

Se o casal já tiver na casa um bom sistema de organização, essa fase transcorrerá sem tanto problema – só é preciso cuidar da saúde e do bom relacionamento entre si – amor, compreensão e ajuda mútua são um bom termômetro para minimizar o impacto de ter um novo membro na família. 

No entanto, boa parte das mulheres que engravidam acabam tendo dificuldade para lidar com suas emoções, a mudança física, o relacionamento com o parceiro, a vida profissional e como se preparar para a chegada do bebê. Sentem-se perdidas e sobrecarregadas, porque o calendário tem os dias contados e o tempo passa muito rápido.

Pra aliviar essa sensação, o mais importante é ter um planejamento de ações. Pode não resolver tudo, mas é uma fórmula eficaz de diminuir o estresse e a insegurança que é natural nessa fase da vida.

Seguem algumas sugestões para este momento tão sublime da gravidez:
  • Marcar na agenda, as datas para o acompanhamento médico mensal, seguindo à risca as recomendações do profissional da saúde – assim, no período de retorno você já prevê que não pode sobrepor outros compromissos;
  • Seja uma grávida linda! Sempre esteja com roupas confortáveis, pele hidratada e perfumada, use maquiagem leve. Se puder evitar, não faça colorações no cabelo ou qualquer outro procedimento que possa prejudicar sua saúde e a do bebê em gestação;
  • Definir o espaço da casa onde ficará o bebê – se optar por móveis projetados, consulte um design de interiores ou uma empresa especializada e já encomende seu projeto, para evitar atrasos e contrariedades;

Quarto de bebê decorado
Banco de Imagens Pxhere

  • Aproveite o período da gravidez para fazer uma triagem em seus armários. Analise e separe o que está em uso e doe para instituições o que já não usa mais. Diminua a quantidade de coisas para que abra espaços e, assim, poder entrar o novo;
  • O bebê precisará de um enxoval para a maternidade e para os 3 primeiros meses. Comece a organizar o ‘chá de bebê’, e deixe a lista dos produtos numa loja de fácil acesso para os convidados;
  • Utensílios grandes, normalmente caros, como carrinho do bebê, banheira e acessórios que serão usados no 1º ano do bebê, podem ser alugados. Pense nisso!
  • Deixe uma pequena mala pronta para levar ao hospital – nunca se sabe a data exata que o bebê quer vir ao mundo.
  • Adquira um bom manual para os primeiros cuidados com o bebê – ajudará bastante!
  • Se trabalha fora, deixe o último mês da gravidez para organizar os pequenos detalhes e, principalmente, descansar. Quando o bebê sair da ‘zona de conforto’, as noites serão mais curtas e você terá 3 meses para se adaptar com o horário entre um aleitamento e outro.

Essas pequenas ações diminuem a ansiedade e a preocupação de ter tudo pronto para receber o novo membro da família. E, se achar que precisa de ajuda profissional, existem a Baby Planner e a Baby Organizer, especialistas em ajudar as futuras mamães na preparação da chegada do bebê e na organização do quarto que o recém-nascido vai usar.

Facilite sua vida, contrate um Personal Organizer!
Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

Sugestão de leitura:

Sonho de Minimalismo



Em minha recente viagem à Itália, visitei lugares muito graciosos na Toscana. São pequenos burgos * com casas de 3 ou 4 cômodos e que parece saírem de um conto de fadas. Entenda como vivem essas pessoas nesses lugares e o que importa pra elas!

imagem de um burgo na Italia

Muito embora os italianos guardem pertences de gerações anteriores, suas casas não são entulhadas de coisas, pois eles mantêm o suficiente para o uso do dia-a-dia. É muito comum ter uma varanda ou a escada com vasos de plantas e flores. A paisagem é deslumbrante. O pôr-do-sol é sempre um espetáculo singular.

Dificilmente os italianos saem para comer fora de casa. Aliás, para eles a alimentação é muito importante, pois apreciam estar à mesa com amigos e familiares saboreando cada prato – não é somente uma forma de nutrir o corpo, mas também a alma, valor que os italianos não renunciam e é muito comum em pequenas cidades o comércio fechar das 12h30 às 15h30 para o almoço.

É uma identidade cultural cultivar a culinária italiana passada de uma geração para outra. A importância desses momentos para a família italiana é refletida na escolha dos produtos que preparam suas refeições, escolhendo produtos de origem conhecida e que respeitem as normas de produção para preservar o ambiente e a tradição.

No entanto, é comum fazerem a ‘colazione’ (café da manhã) em bares - o tradicional é o café expresso ou ‘machiatto’ (café com espuminha de leite) e um ‘cornetto’ (croissant recheado com creme).

Em minha opinião, pessoas que moram em *burgos (pequenos vilarejos fortificados, construídos na era Medieval) são minimalistas.

O que é Minimalismo?

A primeira pesquisa no Google traz o conceito do Minimalismo como sendo um movimento artístico e cultural que surgiu nos Estados Unidos no começo da década de 1960.

No entanto, referindo-se à decoração da casa e à organização, com espaços cada vez menores, em que caminhamos no sentido contrário do acúmulo de coisas, o estilo minimalista vem conquistando adeptos pelo mundo.

Em meu ponto de vista, ser minimalista é ter somente o essencial para viver bem. Nem mais e nem menos.

Esta foi minha colaboração no grupo Minimalismo,do Linkedin. e onde, neste momento em que escrevo, encontrei compartilhado um vídeo de Gustavo Cerbasi que fala sobre Minimalismo nas Finanças.  

imagem de um desenho de uma casa
Fiz uma pesquisa com amigos italianos para saber como se sentem em relação à sua organização, e coletei algumas informações:

A organização é fundamental.
Poucos têm problemas com a organização de suas casas.
Dentre as poucas dificuldades de se organizar, foram apontados: falta de tempo, perder o foco ou não encontrar rapidamente algo que procuram.
Em algumas ocasiões, quando sentem que se desorganizaram, alguns responderam que se tornam ansiosos ou inseguros.
Para não se desorganizarem, responderam que se organizam diariamente ou que tão logo usam algo que tiraram de um lugar, retornam o objeto imediatamente de volta.
Foram unânimes em responder que eles não têm compulsão por compras
Sobre o apego, para alguns é importante dar destino às coisas que já não querem mais.
Quanto a objetos fora de uso, poucos responderam que se sentem inseguros por acharem que podem ser úteis no futuro.
De 1 a 9 (sendo 1 organizado e 9 desorganizado), a média do nível de organização de suas casas foi entre 1 e 2, ou seja, não se acham pessoas desorganizadas.

E, você, meu caro leitor, que tal responder às mesmas perguntas desta pesquisa e me enviar? Posso sugerir algumas dicas, caso perceba que você tem algum grau de dificuldade em lidar com a desorganização ou até mesmo para diminuir a quantidade de pertences e viver de forma mais simples.

1.      O quanto é importante para você a organização?
2.      De 1 a 10 (sendo 1 mais baixo e 10 muito alto), qual o nível de desorganização em que se encontra?
3.      Se você acha que está desorganizado, qual é sua grande dificuldade para organizar o que está à tua volta?
4.      A desorganização prejudica sua vida? Sente culpa, vergonha, falta de energia?
5.      Quais foram as tentativas de reduzir a desorganização?
6.      Você é viciado em informação, mantendo muitos arquivos, documentos, jornais e livros que já leu?
7.      É viciado em compras?
8.      Acumula coisas que parecem ser inúteis ou sem valor?
9.      É difícil se libertar das coisas, mesmo que estejam fora de uso?

Se souber de alguém que precisa de ajuda para a organização, compartilhe esta postagem ou indique o site!
Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

Roupa suja se lava em casa



A máquina de lavar é um eletrodoméstico que facilita muito essa atividade doméstica! No entanto, precisa ser programada e também é necessário certa dose de organização.

Nesta postagem passo algumas dicas simples e práticas.
Roupa branca e suja sendo colocada por um homem dentro de containers
Banco de Imagens Pxhere
Lava roupa todo dia, que agonia...


Na voz do saudoso Luiz Melodia, nem sempre precisa ser assim! As máquinas de lavar roupa mais modernas trazem várias funções, desde escolher o nível da água e temperatura, como o tipo de roupa por cor, utilidade ou peso e, ainda, algumas podem ser programadas para secar.

Parece simples, mas esse equipamento só funciona bem se tiver alguém que a programe com o nível certo de água, alimente com sabão, amaciante ou alvejante. E, ainda, precisa ser feita uma seleção prévia, antes de colocar dentro da máquina. Vejamos!

Cestos de roupa suja na área de serviço

Essas sacolas que aparecem nas imagens acima têm roupas que foram usadas durante a semana e estão na área de serviço. Todas foram colocadas sem critério e estão misturadas - o sistema de colocar as roupas sujas em cestos ou sacolas recicláveis é prático, quando a área de serviço fica distante ou num outro andar da casa.

Facilita se já forem separadas por cor e tipo, na hora de colocar dentro do cesto de roupa suja.

Então, foi necessário separar as roupas claras das escuras e coloridas, antes de colocar dentro da máquina de lavar. Veja a próxima foto!

Sacolas com roupa suja, selecionada por tipo e cor

Agora, sim, as roupas podem ser colocadas dentro da máquina para lavar. Atenção para roupas coloridas – melhor não misturar com roupas claras, porque podem soltar tinta e aí... adeus roupa branca!

Assim que a máquina terminar o ciclo de lavagem, mais uma atividade importante deve ser feita: pendurar no varal para secar, tão logo a máquina pare. O melhor é esticar a peça de roupa pela costura, sacudir e esticar sem que fique dobrada ou embolada. Se tiver sol na área onde tem o varal, melhor não ficar muito tempo para que a roupa não resseque. Se for numa área fechada, melhor abrir a janela e ventilar para não deixar cheiro na roupa. 

Roupas no varal de chão
Roupas secando ao sol
Depois que a roupa estiver seca, a tarefa continua... Ao recolher a roupa do varal, guarde num cesto de forma que não fique muito amassada até o momento de dobrar e guardar todas as peças em seus devidos lugares.

Quanto mais cedo essa tarefa for realizada, melhor para não acumular trabalho e não bagunçar a roupa, ao procurar uma peça no referido cesto. Ao dobrar as roupas, vá separando por categoria para facilitar na hora de levá-las para os lugares onde devem ser guardadas. 

Roupas dobradas sobre uma mesa

Pronto! Trabalho feito e parte da manutenção da casa realizada. Parece difícil? Se feita com critério, é a coisa mais fácil do mundo. Experimente seguir essas dicas e veja como a tarefa fica mais leve!

A rotina doméstica precisa de organização e planejamento, mesmo neste exemplo de uma simples atividade de lavar roupa.

Comenta abaixo, se você tiver outras sugestões! Sempre é bom compartilhar dicas que facilitem a vida, não é mesmo?
Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

Desorganização Crônica X Acumulação


Os vários eventos que abordam a Desorganização Crônica e a Acumulação são boas oportunidades para entender a diferença entre uma e outra e quais as características de cada sintoma. A psicóloga com quem faço parceria e eu, estamos promovendo e participando de vários eventos em que falamos do assunto, baseadas em estudos e em atendimentos a clientes cronicamente desorganizados ou em situação de acúmulo.

foto da Pasicóloga Deborah W. Passos e da Consultora de Organização Yolanda Hollaender, instrutoras da Oficina Estratégias e Ferramentas no Atendimento ao Cliente Desorganizado

Desde que o programa Domingo Show, da TV Record, foi ao ar em 10 de junho de 2018, em que foi revelada a história da cantora Perla e a transformação de sua casa, ocasião essa na qual tive a oportunidade de participar de um mutirão para organizar com um grupo de Personal Organizers competentes e dedicadas, mais a  presença da psicóloga Deborah W. Passos, com que faço parceria na Oficina de Suporte aos Problemas de Desorganização, o tema ‘Acumuladores’ passou a ser mais conhecido e debatido pelo público em geral e, principalmente entre os profissionais de organização.

Abaixo um dos blocos do programa, que teve 2h30 de duração. Neste, a chamada foi ‘Especialista explica passo a passo para organizar a casa de Perla’, e já passa de 1,8 mil visualizações.



Aqui faço uma ressalva ao termo ‘Acumuladores’ (Hoarders em inglês),  que tem sido banalizado e mal usado, porque essa expressão nos leva à ideia de indivíduos que estão num grau extremo de acumulação, com dificuldade de andar pelos cômodos que perderam sua função e se encontram num verdadeiro caos  – mas, isso é o que se vê nos programas de Reality Show da TV por assinatura, no canal A&E, e normalmente, referindo-se ao Transtorno da Acumulação, com a existência ou não de aquisição excessiva de objetos de pouco valor, podendo também estar em comorbidade com outras patologias.

Já existem casos severos no Brasil, e as Redes de Atenção, subordinadas à Supervisão de Vigilância em Saúde (SUVIS) fazem um trabalho de sensibilização, em que assistentes sociais visitam pessoas com acúmulo de inservíveis ou animais (geralmente denunciadas por parentes ou vizinhos), com o objetivo de dar assistência e encaminhar para tratamento com profissionais da saúde.

No caso de pessoas que estão desorganizadas há muito tempo, não significa que acumulam em excesso e, nem toda pessoa que acumula está numa situação extrema, como aparecem nos programas. Existem vários níveis de desorganização e acúmulo,  e as possíveis causas foram identificadas em 3 categorias distintas: (1) pessoas que acumulam porque têm medo, (2) acumulam porque carregam culpa e (3) pessoas que têm apego emocional – você pode ler mais a respeito, nas postagens Síndrome da Bagunça  e Síndrome da Acumulação.

Desde o programa, este 2º semestre de 2018 tem sido bem agitado aqui na Yorganiza e estou feliz porque é importante que o assunto seja disseminado, tanto para Organizadores Profissionais como para os que convivem com pessoas que acumulam, ou indivíduos que estejam cronicamente desorganizados. Há necessidade de se aprofundar nos estudos para compreender aqueles que precisam de ajuda, sem que essas pessoas se sintam constrangidas ao falar de seu sofrimento causado pela acumulação e o impacto que a desorganização causou em suas vidas.

Quero, então, destacar outros eventos em que participei em parceria com a psicóloga Deborah W. Passos e alguns que ainda estão por acontecer:

Tive a satisfação de ser convidada por Rafaela Oliveira, do Organize sem Frescuras, para falar em vídeo sobre 'Desorganização Crônica e Acúmulo, como lidar?' - até o momento com quase 54mil visualizações.



Dia 31 de agosto de 2018, a psicóloga Deborah W. Passos e eu fizemos 2 palestras: uma para o público em geral, e a outra dirigida a Profissionais de Organização, ambas aconteceram na casa3
imagem das participantes na palestra 'Acumuladores e Desorganizados'

Desde o mês de setembro de 2018, está acontecendo a Oficina 'Adquirindo Controle sobre a Desorganização', voltada às pessoas cronicamente desorganizadas, com o objetivo de levar da conscientização do problema até o desenvolvimento de estratégias para o enfrentamento da desorganização.  Acontece toda segunda-feira, na Casa 3. Temos 9 integrantes neste grupo, e os encontros estão sendo muito bons e produtivos.  A foto abaixo é a comemoração do término da 1ª fase da Oficina. No momento que escrevo esta postagem, está acontecendo a 2ª fase desta mesma Oficina, e que vai até o mês de dezembro de 2018

Imagens da Oficina 'Adquirindo Controle sobre a Desorganização'


No dia 20 de outubro de 2018, aconteceu uma Oficina presencial para Personal Organizers:  'Estratégias e Ferramentas no Atendimento ao Cliente Desorganizado', em que a psicóloga Deborah W. Passos e eu fomos as facilitadoras.
Imagem da Oficina 'Estratégias e Ferramentas no Atendimento ao Cliente Desorganizado


No dia 10 de novembro de 2018 partiparei como instrutora de um Workshop, no 4º Encontro de Personal Organizers do Centro-Oeste, que acontece em Brasília-DF, para o que agradeço à idealizadora e simpática Rosália Ribas pelo convite. 




No dia 24 de novembro de 2018, a psicóloga Deborah W. Passos e eu, Yolanda Hollaender, Consultora em Organização, seremos instrutoras num Workshop em Curitiba-PR, a convite da amiga e Personal Organizer,  Sonia Barzenski.




Em 15 de dezembro de 2018, estarei em Lisboa, a convite de Rita Pinheiro e Glicínia Araújo, ambas responsáveis pela APOP - Associação Portuguesa de Organizadores Profisssionais, para ser instrutora de um Workshop sobre Desorganização Crônica.  

E, para 2019, já recebi alguns convites. Agora, é planejar e continuar esse trabalho maravilhoso de compartilhar conhecimento e ajudar pessoas que sofrem por causa da desorganização e acúmulo.

Se você tem problemas com a desorganização há muito tempo e isso está impactando sua vida, ou se conhece alguém que acumula em excesso e precisa de ajuda, conte conosco!

Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

Visualizações

Agradecimentos

Ari Hollaender - consultoria em Marketing

Marcadores

Voltar ao topo