Sentir, imaginar, fazer, compartilhar


 “A criança é protagonista do próprio aprendizado.”

(Kiran Sethi, idealizadora da Escola Riverside e criadora do método Design for Change-DFC)
Imagem ilustrativa
Esse assunto veio ao encontro de um projeto que estou desenvolvendo, junto com a Oficina de Suporte aos Problemas de Desorganização, visando o trabalho com alunos que têm dificuldades com organização, lição de casa e estudo.

Em minhas pesquisas, li depoimento de pais de filhos desorganizados que se sentiram frustrados e desanimados ao lidar com os problemas de organização de seus filhos.

Não basta mostrar às crianças como serem organizadas. Os alunos sabem o que fazer – o que não sabem é justamente fazer, pois alguns têm dificuldade para colocar em prática suas habilidades. É importante que o aluno tenha o mínimo de organização para entender o que precisa fazer.  

Dicas simples podem resultar em mudanças rápidas, produzindo bons efeitos.

A pergunta inicial do método indiano é “O que incomoda você?”

A partir daí, quando se pensa na importância da organização para o aluno que apresenta dificuldade de aprendizagem, é procurar entender o que esse aluno necessita, quais são suas dificuldades, se mostra sinais de desorganização, e criar uma estrutura para que ele consiga se organizar e ser bem sucedido na escola.

Crianças não nascem organizadas. Elas são treinadas ao longo do tempo. E cada criança desenvolve sua habilidade de organização, conforme o desenvolvimento de seu cérebro. Bom, mas isso faz parte do objeto de estudo que a Oficina está trabalhando e que estamos levando para as escolas.

Se seu filho, sobrinho ou neto vem apresentando baixo rendimento nas tarefas escolares e apresenta sintomas de desorganização, quem sabe podemos ajudar? 

Síndrome de Diógenes

Tirando o sensacionalismo que a TV impõe às matérias, recentemente foi publicado o caso de um idoso de 64 anos, portador da Síndrome de Diógenes – doença conhecida pelo acúmulo compulsivo de objetos de pouco ou nenhum valor e que torna a moradia inabitábel.  Na maioria dos casos esse distúrbio leva o portador ao isolamento social.

Segundo a matéria, há 10 anos que esse acumulador vinha juntando entulho espalhado por toda a residência.

O jurídico da Prefeitura local pegou a assinatura do juiz para um mandado de intervenção e, conforme o depoimento do promotor que estava à frente do caso, foi preciso recorrer à Lei do Direito da Vizinhança, previsto no Código Civil, pois havia risco de contaminação, grande proliferação de bichos peçonhentos e focos de dengue.

Com uma medida liminar e a força policial, fizeram a retirada de todo o lixo.


Assistindo o vídeo, dá para se ter uma ideia do quanto estão despreparados todos os órgãos que atenderam o caso: Guarda Civil Metropolitana, Vigilância Sanitária, Centro de Zoonose, Defesa Civil e Assistência Social da cidade - nenhum profissional da saúde mental presente, tão pouco o próprio morador. O que aconteceu com ele? Essa é a pergunta que cala!!

No Brasil, quase não se divulga estudos sobre esta síndrome e suas causas mas que já vêm preocupando órgãos de saúde no cuidado e acompanhamento de casos com esse perfil. 

O Acúmulo Compulsivo impacta o próprio sujeito e o seu entorno. Ambos precisam ser cuidados. (Sueli Maciel, psicóloga clínica no Centro de Controle de Zoonese de São Paulo)

Quando trocar a escova de dente?


Tenho acompanhado postagens, matérias de jornal e revista que abordam várias dicas de organização com a chamada no título, como por exemplo: “10 dicas para deixar seu guarda-roupa em ordem”; “20 truques para o dia-a-dia”, “15 acessórios para deixar sua mesa de trabalho mais prática”... Enfim, uma série de bons conselhos que são úteis e funcionam de verdade, no entanto, quando começo a ler a lista e chego ao final da matéria, já nem me recordo da primeira listada – e só consigo lembrar-me do que realmente me chamou a atenção.

Quando estou no trânsito, ouço um programa no rádio que apresenta diariamente apenas uma receita ou dica caseira, e que consigo ficar atenta e retenho a informação.


Então, hoje, vou dar apenas uma dica que levo a certeza será útil pra você, meu leitor. E esta idéia veio de um conversa com uma amiga que relatou a solução encontrada por uma cliente sobre a hora certa de trocar as escovas de dente de toda a família.

Sabe quando?

Em cada mudança de estação! Simples, não?!


Dessa forma não há como esquecer. Mudou a estação do ano – seja na Primavera, Verão, Outono ou no Inverno – é hora de troca a escova de dente em uso. O dentista agradece!


A escova usada pode ser reutilizada para limpar a emenda dos azulejos ou para passar graxa nos sapatos! 

Gostou da dica? Então compartilhe com sua família, amigos e vizinhos!

Sugestão de leitura: 

Visualizações

Agradecimentos

Ari Hollaender - consultoria em Marketing

Marcadores

Voltar ao topo