Boas Festas!


O quanto de maquiagem uma mulher precisa?


Recentemente meu filho viajou para Paris e eu não resisti em pedir que me trouxesse alguns itens de maquiagem, quando ele visitasse a famosa Galeries Lafayette Maison. Eu tinha estado lá no ano passado, e fiquei encantada com o lugar...

E ele trouxe! Ganhei de presente um lindo estojo de viagem da Lancôme e uma elegante caixa com produtos da marca Dior, em que vieram algumas amostras de perfumes e tratamento para a pele – o estoque vai durar alguns meses, certamente!

O estojo de viagem é muito bom, porque é compacto e cabe dentro da bolsa e não ocupa muito espaço. Assim, dá pra retocar a maquiagem quando se está numa festa, numa reunião entre amigos, num jantar e, claro, principalmente quando se está viajando...


O quanto de maquiagem uma mulher precisa?

Para mim, o suficiente é uma boa base, uma máscara de cílios e batom. 


Aproveitei, então, para ‘destralhar’ alguns cosméticos e reduzir meu estojo de maquiagem.  Lavei meus pincéis, joguei fora batons velhos e mantive somente produtos dentro do prazo de validade.

Parece desperdício jogar fora batons, sombras ou lápis que contornam os olhos, que estão em uso, mas esses produtos podem causar irritação na pele, se mantidos por muito tempo depois de abertos.

Veja a temporalidade de alguns itens de maquiagem!
  • Rímel: 3 a 6 meses
  • Base: 6 meses
  • Corretivo: 8 meses
  • Lápis (olhos, sobrancelhas ou lábios): 1 ano
  • Blush em creme: 1 ano 
  • Batom: 1 ano
  • Pó compacto: 2 anos
  • Sombra: 2 anos 
  • Blush em pó: 2 anos
  • Pó bronzeador: 2 anos


Agora, tudo está organizado e pronto para ser usado nos próximos seis meses.



Que tal você rever seu estojo de maquiagem, agora?

Veja, também, minha postagem 'Como você conserva sua maquiagem?'

Consumo consciente avança entre jovens

O título desta postagem foi extraído de uma matéria do Estadão, no Caderno Finanças Pessoais, que tratou sobre o termo lowsumerism, em que o pesquisador Eudardo Biz explica:
'Os pilares desse conceito são menos consumismo, busca por alternativas menos danosas e viver com o necessário. O lowsumerism repensa o que é excesso e sugere que você questione o ato de comprar para ficar na moda. A questão ética passa a entrar na decisão da compra.'
Está aí uma boa reflexão para nos questionarmos do por que as pessoas de média idade (a partir dos 40, considerando a expectativa de vida próximo aos 80 anos) abarrotam suas casas de coisas, que acabam sendo esquecidas ou nem usadas.
Quantas vezes compra-se por impulso e nem se aproveita o objeto de consumo?
Quantas vezes alguns mantimentos ou produtos de higiene passam do prazo de validade e lamentamos ter que jogar fora, quando lembramos de ver a data de vencimento? Ou, então, mesmo cientes de que a data de validade está vencida, arriscamos a saúde, e usamos o produto, com pena de descartá-los.
Quanta papelada guardamos, sem critério e sem categorização, só porque temos receio de precisar deles algum dia e não sabemos por quanto tempo guardar determinados documentos, extratos, faturas pagas, etc.?
Eu, ultimamente, tenho observado meus pertences e tenho praticado o minimalismo. Tenho praticado a Arte de Esvaziar!
Percebi que com menos peças decorativas nas bancadas, não acumula pó e facilita a limpeza;
Com menos roupas no closet, posso ver tudo o que tenho e usar peças do vestuário que estavam escondidas nas gavetas.
Menos louça, panelas e acessórios na cozinha facilitam na hora de cozinhar – fica tudo mais prático de achar. Afinal, para que 2 jogos de louça com 24 peças, se uso somente 2 pratos por vez; ou 10 panelas, se uso no máximo três para preparar cada refeição?  Para quê 3 jogos completos de talheres, se uso um só para me alimentar? 
Por que ter a despensa e geladeira tão cheias, se estou fazendo dieta? Certamente, não vou conseguir perder peso se ficar olhando a toda hora para o estoque de alimentos...   
Menos papeis nas pastas, tudo fica fácil de achar, com muito mais rapidez.
Para que tantos livros guardados, se não os leio mais e nem tenho o propósito de reler?  Guardei só os que consulto regularmente e os que me foram dados de presente, com dedicatória...
Enfim, a vida tem ficado mais leve e sinto-me com muito mais liberdade para fazer o que gosto!
Que tal você se desapegar de coisas que já não fazem mais sentido e praticar o lowsumerism, ou se preferir, o minimalismo? Se precisar de ajuda, Yorganiza é a solução! 

Sugestão de leitura:

Organiza Brasil Digital - imperdível!

www.organizabrasildigital.com.br

Mulheres e Homens, entre 30 e 55 anos, que moram em grandes cidades no Brasil, gostariam de dedicar mais tempo para si mesmos e suas famílias.

Buscam por soluções práticas para sua casa e sua vida. 

Têm o hábito de consumir conteúdo digital.

Sentem a necessidade de tornar suas vidas mais práticas, mas buscam por soluções fáceis e de rápida implementação, por não terem muito tempo para se dedicar ao aprendizado de uma única coisa nova, por exemplo, uma metodologia de organização de rotina muito complexa.

Estão cansadas da bagunça nos ambientes em que vivem ou precisam deixá-los mais práticos e funcionais.

Não têm espaço mais em suas casas, devido à falta de organização para que tudo caiba no espaço.

Perdem muito tempo procurando as coisas em casa, para si ou para os outros, por não saberem onde realmente elas estão.

Têm um volume grande de tarefas em casa ou no trabalho e não conseguem realizá-las no tempo adequado, não cumprem prazos ou não conseguem realizar todas elas, gerando frustração ou falta produtividade.

Por que do Congresso?

O Congresso será um marco no cenário nacional para fortalecer a cultura de organização junto ao consumidor final. Organizar é uma necessidade latente, mas que muitos não a reconhecem ou não sabem que existem soluções/ofertas no mercado para atendê-la.

O Congresso surge em um cenário onde cada vez mais fala-se na imprensa sobre a importância e benefício da organização e os grandes varejistas têm demonstrado cada vez mais interesse.

O evento surge para ajudar as pessoas a se organizar de um jeito prático em diferentes áreas da sua vida: residência, pessoal e no trabalho (ganho de produtividade).

Ele foi criado para levar a todos os brasileiros dicas e soluções de organização fáceis de serem aplicadas, explicadas por especialistas do mercado.

Seu formato digital permite acessibilidade, onde você pode consumir o conteúdo de qualquer lugar que estiver, utilizando qualquer meio digital.

Seu conteúdo programático vai de encontro a tendências de consumo, que demonstram que o consumidor busca cada vez mais praticidade e facilidade em seu dia a dia, assim como desejam mais tempo, um consumo consciente e inteligente por um menor custo e qualidade de vida.

A organização permite às pessoas facilitarem o seu dia a dia, ganhando mais tempo para fazer o que realmente gostam e aproveitarem suas relações pessoais, assim como traz mais produtividade em todas as suas ações.

A transformação: Quem assistir ao congresso poderá dizer que:

  • Aprendeu dicas valiosas para aplicar no seu dia a dia e deixá-lo mais organizado e prático;
  • Descobriu que organizar é mais fácil do que se imagina;
  • Aprendeu dicas que conseguirá aplicar rapidamente para ter bons resultados em organização;
  • Conseguirá deixar sua casa mais organizada; encontrará os objetos que precisa rapidamente;
  • Terá um ambiente mais harmônico e com mais espaço;
  • As pessoas que moram na casa terão um maior bem-estar;
  • Seu trabalho será melhor e mais produtivo;
  • A pessoa descobriu como gerenciar seu tempo para fazer tudo o que precisa e gosta;
  • Viu que organizar faz bem, não é algo chato.

Anote em sua agenda: Organiza Brasil Digital, um evento online imperdível que vai acontecer de 29 de agosto a 04 de setembro, totalmente gratuito!


Faça sua inscrição no link: http://goo.gl/WYsvkc

*Material elaborado  pela equipe organizadora do evento e autorizado para publicação neste blogue

O problema é a área de serviço?

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras... então, hoje minha postagem será um vídeo curtinho de 5 minutos, em que eu mostro a área de serviço de meu apartamento. 


Quando se tem a área de serviço pequena como extensão da cozinha, sem porta que isole os dois ambientes, o melhor é utilizar as paredes com ganchos para pendurar alguns utensílios. 

Assista ao vídeo e veja as soluções de otimização que eu usei aqui em casa!



Gostou das soluções? Compartilhe, deixe seu comentário! 

Qual a mala certa para viajar com crianças pequenas?


Pelo título, você deve estar achando que vou escrever sobre tipo, marca, tamanho de mala. Mas, o que quero mesmo é escrever sobre as dicas de uma matéria do Suplemento de Viagens do Jornal O Estado de São Paulo, em que uma das entrevistadas descreve a mala certa para crianças entre 0 a 6 anos de idade.




Fiz um apanhado do que considero essencial para levar na mala de viagem das crianças para um lugar com clima ameno e eu descrevo abaixo:

Como preparar uma bagagem funcional?



Bebês até 1 ano

Roupas:
2 conjuntos ou macacões para cada dia
1 pijama por noite
2 trajes de passeio

Acessórios:
3 mantas leves ou mais pesadas, conforme o clima
10 fraldas de tecido para serem usadas na amamentação, proteção do sol
2 babadores por dia
4 mamadeiras
1 mochila para os pertences do bebê

Higiene:
Fraldas descartáveis
Xampu, sabonete, lenços umedecidos, talco, pomada contra assadura, protetor solar

Crianças de 1 a 2 anos

Roupas
2 conjuntos completos por dia
1 pijama por noite
3 trajes de passeio
1 par de chinelos com elástico
1 par de sandálias de borracha
2 pares de tênis
Meias
2 Bonés

Acessórios:
2 mantas leves
10 fraldas de tecido para serem usadas na amamentação, proteção do sol
2 babadores por dia
3 mamadeiras
2 cangas para forrar o gramado ou areia
1 mochila para os pertences e brinquedos da criança

Higiene:
Fraldas descartáveis
Xampu, sabonete, lenços umedecidos, talco, pomada contra assadura, protetor solar
Pente ou escova de cabelo
Escova e pasta de dente

Crianças de 3 a 4 anos

Roupas:
1 conjunto completo por dia
5 camisetas extras
1 pijama para duas noites
1 traje de passeio
1 par de chinelos com elástico
1 par de chinelos de borracha
2 calcinhas ou cuecas por dia
Meias
4 biquínis ou sungas
2 Bonés

Acessórios:
3 cangas para forrar o gramado ou areia
1 mochila para os pertences e brinquedos da criança

Higiene:
Xampu, sabonete, talco, lenços umedecidos, pomada contra assadura, protetor solar
Pente ou escova de cabelo
Escova e pasta de dente
Álcool gel
Crianças de 5 a 6 anos

Roupas:
1 conjunto completo por dia
5 camisetas extras
1 pijama para três noites
3 trajes de passeio
1 par de chinelos
1 par de sandálias de borracha
2 pares de tênis
2 calcinhas ou cuecas por dia
4 biquínis ou sungas
2 bonés

Acessórios:
2 cangas para forrar o gramado ou areia

Higiene:
Xampu, sabonete, talco, lenços umedecidos, protetor solar
Pente ou escova de cabelo
Escova e pasta de dente
Álcool gel

Faça as malas e BOA VIAGEM! 

Leia a matéria na íntegra, clicando no link http://goo.gl/XTr7k1!

Imagens: Free Stock Photos

Como você organizaria um apartamento supercompacto?

Aconteceu nesta semana, a segunda edição do SUMMIT, evento promovido pelo Jornal Estadão e o Sindicato da Habitação de São Paulo, que reuniu investidores, empresários e representantes do setor público, para debater as tendências do mercado imobiliário.

Na busca de soluções e oportunidades, especialistas e empresários do setor levantaram o fato de que ‘o envelhecimento da população e estilo de vida dos jovens são compatíveis com residências pequenas’. Por isso, defendem que apartamentos supercompactos têm conquistado o mercado.

Mas, afinal, o que é um apartamento supercompacto? Como o próprio nome diz, é um espaço bem pequeno mesmo, com área útil entre 15m² a 30m²! 

Consegue imaginar uma moradia completa, construída num cômodo de 3m de largura e 5m de comprimento, onde caiba a sala, o quarto, a cozinha e o banheiro? Difícil, não?

Calculando a metragem da área 
Segundo os especialistas, a tendência por espaços reduzidos é cada vez maior em grandes cidades. E a razão disto é porque as pessoas procuram por soluções econômicas e eficientes, priorizando as atividades fora de casa.

Essas pessoas procuram percorrer curtas distâncias entre a casa e o trabalho e não querem se comprometer com financiamentos imobiliários a longo prazo.

Na matéria sobre o SUMMIT, li que o americano Andrew Morrison, divulgador do Movimento de Casas Minúsculas (tradução livre de Tiny House Movement) conta que ele mesmo mora com a mulher e dois filhos numa casa de 19m²! Seria possível?

Divisão de ambientes de um apartamento supercompacto

Bem, se ele afirmou é porque conseguiu deixar o espaço tão funcional e organizado que as quatro pessoas da família dividem cada um 5m² aproximadamente.

Com soluções práticas, móveis adaptados e versáteis, que tenham várias utilizações, como por exemplo: uma mesa que possa ser embutida e se transformar numa cama ou em um sofá; o mínimo de roupas e acessórios e, principalmente, um bom senso de organização e, claro, uma boa dose de BOM HUMOR, pode tornar um pequeno espaço num lar aconchegante.


Veja no vídeo, uma casa minúscula de um jovem casal francês!



Se precisar de uma consultoria, Yorganiza é a solução! 

Especialista em arrumar bagunça?


Reedito abaixo uma publicação, quando iniciei como Profissional de Organização, em 2013. Na ocasião, todos com quem eu falava sobre minha atividade perguntavam-me se eu 'arrumava a bagunça dos outros'. Existe uma grande diferença entre arrumar e organizar, e o tema continua gerando controvérsias... Leia e opine!

Banco de Imagens pxhere
Inspirei-me nesta postagem quando assisti a um vídeo em que a apresentadora se referia à Personal Organizer como sendo “a especialista em arrumar a bagunça dos outros”.

Associando essa fala ao episódio Solteiros sem Noção' do programa Santa Ajuda, em que Micaela Góes teve o desafio de arrumar o apartamento de dois amigos, ela também se referiu ao caos. O vídeo está disponível no GNT Play!

Em sendo profissional de organização, defendo que o trabalho de uma Personal Organizer é bem além de só “arrumar a bagunça”, pois este profissional pode contribuir de forma eficaz na mudança de hábito dos que compartilham do mesmo espaço, diminuindo o estresse e contribuindo para a harmonia no dia-a-dia. O Personal Organizer é, sim, um especialista em entender o cliente nas suas necessidades e estilo de vida, adaptando o espaço doméstico para que este seja mais prático e organizado.

Vamos ver as diferenças entre Arrumar e Organizar!
Enquanto arrumar é Agradável, organizar é Funcional;
Arrumar é Estético, organizar é Lógico;
A forma de arrumar é Subjetiva, enquanto organizar é Racional;
Arrumar é uma Solução Impessoal, já organizar é uma Solução Individual.
O quarto deve ser  um lugar gostoso de se estar, pois ali é onde o indivíduo é ele mesmo, com seus pertences e objetos pessoais – um mundo só dele, porém organizado!

dobkanize.com
E você, acha que arrumar e organizar são a mesma coisa?
Seu quarto está arrumado ou organizado?
Deixe aqui seu comentário! 



Mas, se a desorganização já está fora de controle, Yorganiza é a solução!

Recontando a História da ANPOP

por Yolanda Hollaender 

Terminado o curso de Organização de Residências, me deparei com algumas dificuldades: onde encontrar o cliente; como cobrar; como me vender. De antemão, os alunos teriam disponibilizado o nome num banco de dados no site da instituição, por um curto período de tempo. Já era um começo!

Mesmo assim, me faltava a prática e sentia necessidade de trocar ideias com outros profissionais. Comecei, então, a procurar e assistir Workshops de Organização. Num deles, encontrei Valéria Ribeiro Ferreira, com quem fiz um dos módulos do curso de capacitação.

Desse encontro com Valéria, fizemos uma parceria e fomos cogitando a ideia de reunir outros profissionais para trocar informações. Nesse meio tempo, coloquei para debate no grupo que eu criei no LinkedIn (Personal Organizer Brasil), e nos grupos de debate de outras redes sociais, o tema “as competências de um profissional em organização”, baseado num anúncio que oferecia serviços de Personal Organizer equivalentes aos de uma governanta. Muitas questões foram levantadas e houve uma forte manifestação e preocupação dos leitores, na maioria Personal Organizers, quanto à divulgação correta sobre a atividade de organização profissional em residências.

Por conta disto, Valéria e eu nos encorajamos e tomamos a iniciativa de levar adiante a ideia de organizar um encontro de profissionais de organização no salão do prédio onde eu residia, para um bate-papo informal sobre alguns assuntos de interesse em comum.

Para divulgar o encontro com Personal Organizers, até então inédito no Brasil, recorri a outros grupos já existentes no Facebook: 1) Grupo Personal Organizer Brasil, administrado por Cristiane Rocha, que gentilmente e com grande empenho me ajudou a divulgar na rede; 2) Grupo Personal Organizer, administrado por Magda Zampieri e que havia sido minha instrutora, e também colaborou na divulgação do evento. Além disso, usei o mailing das colegas com quem fiz o curso presencial; como para outras listas, fruto de minha pesquisa.

Lembro-me bem dos preparativos e da troca de e-mails com as POs interessadas em participar do encontro, interagindo nas redes sociais. Minha ansiedade aflorava, pois eu não tinha certeza se as pessoas viriam para ‘um encontro às cegas”, pois poucos se conheciam e eu estava há pouco tempo no mercado.

O evento ficava cada vez mais perto de se concretizar, devido ao grande número de interessados que se manifestavam. Tivemos 47 inscrições confirmadas e 41 participantes no dia do evento.

Na foto desse 1º Encontro, alguns rostos conhecidos que continuam no mercado e são bastante valorizadas: Aracy Santamaria (que nos passou sua valiosa experiência), Carmem Silva (que trouxe um grupo de alunas de seus cursos em Mogi das Cruzes), Claudia Pilli (participativa e entusiasmada com a ideia de outros encontros), entre tantas outras que estiveram presentes.

Para mim, foi uma grande surpresa o número de Personal Organizers que participaram do evento, e uma grande satisfação ter organizado esse encontro. Valeu o esforço!

Esse evento foi tão rico, que saímos do 1º Encontro Personal Organizer (EPO) já definindo um 2º encontro para agosto, e que teve Claudia Pilli como anfitriã, bem como o 3º encontro em novembro do mesmo ano. Todos, sempre com um número expressivo de participantes. 


O 1º Encontro, batizado de EPO, foi um marco na história da ANPOP. Saiba por quê!

Nesse mesmo evento, Sandra Pina mencionou sua presença na NAPO (National Association of Professional Organizers), em 2011. Ela contou que do grupo de brasileiros que estavam lá, surgiu a ideia de formar uma Associação, no entanto, de volta ao Brasil o projeto acabou ficando engavetado.

Assim sendo, os participantes no EPO-jun08, animados com a perspectiva de retomar a ideia para criar uma associação, e que havia sido abandonada por mais de dois anos, resolveram formar um grupo de POs de São Paulo para agendar uma reunião com José Luiz Cunha, diretor da OZ, e grande entusiasta pela ideia de formar uma entidade de classe. 

A continuação da história?

Vamos lá a um pequeno resumo, pois essa história é recheada de muitas emoções e acontecimentos e, certamente, daria um livro!

Daqui pra frente, cada um dos que se uniram para fazer parte da história da ANPOP tem sua participação em determinados momentos e sua própria versão dos acontecimentos. Esta história que estou reproduzindo sobre o nascimento da ANPOP, é a que eu vivenciei até aqui. 

A referida reunião, citada no parágrafo anterior, aconteceu no dia de 04 de julho de 2013 (mais uma feliz coincidência com a data de aniversário de minha saudosa filha, entre outros sinais que abordei na postagem ‘Minha história de amor com a organização’). Estiveram presentes: José Luiz Cunha, Sandra Pina, Valéria Ribeiro Ferreira e eu, Yolanda Hollaender. Foi a primeira de muitas reuniões para debater a viabilidade na formação de uma associação de Profissionais de Organização.

Lançado, então, o início do projeto!

Depois de inúmeras reuniões, com 10 participantes, no segundo semestre de 2013 (às vezes, tinham até 04 horas de duração); muitos e exaustivos debates; opiniões acaloradas; desistência de alguns; entrada de novos membros; e outros dois encontros, a Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade foi constituída e formalizada, em 13 de fevereiro de 2014.

Desde então, têm sido grandes os esforços para fazer a Associação se desenvolver e oferecer benefícios aos associados; um espaço de busca, exclusivo no site da ANPOP; oferta de cursos de boa qualidade que agreguem valor à carreira profissional; um canal de comunicação para a troca de informações e Networking; um Código de Ética; vários canais de comunicação; informações úteis nas redes sociais; busca de patrocínio e parcerias com empresas que comercializam produtos de organização; debates amigáveis sobre organização e dúvidas em comum; apoio aos encontros regionais; presença em eventos e conferências que reúnem profissionais de organização; compilação de dados através de pesquisa de opinião para conhecer melhor o que o associado tem como expectativa; pesquisa profissional para conhecer o público final e suas necessidades; assessoria jurídica; material de consulta e; tantas outras ações que a ANPOP tem trabalhado para colocar em prática.

Mesmo com um número pequeno de colaboradores, a ANPOP tem se esmerado para ir adiante.

O maior benefício para o Profissional de Organização, no meu entendimento, é já contar com uma Associação constituída, registrada, trabalhando e já apresentando resultados no primeiro mandato. 

Somos pessoas que disponibilizam parte do tempo, conciliando a vida pessoal e profissional, para se dedicar à Associação, visando deixar o melhor de todos nós! 

Próximo do final deste meu mandato, como Vice-Presidente da ANPOP, deixo aqui meu especial agradecimento a todos que fazem parte desta linda HISTÓRIA.

Fundadores (e aqui eu me incluo):



 Diretores em exercício 2014-2016 (e eu me incluo aqui, também):

Conselheiros, Coordenadores de Comitês e Colaboradores:

Agradeço às auxiliares administrativas, que prestaram serviços para a ANPOP, desde o lançamento formal da associação, na 1ª Conferência Internacional de Profissionais de Organização:  Rosa Cruz foi nossa primeira assistente, tendo contribuído bastante na área administrativa e, atualmente, contamos com Maria Gabriela Cruvinel, auxiliando a Secretaria e respondendo aos e-mails enviados para a Associação, com a supervisão do 1º e 2º Secretários.

Aos Sócios Pioneiros, aos 133 associados, e todos os que, de alguma forma colaboraram e continuam colaborando com o desenvolvimento e fortalecimento da ANPOP, meu carinhoso abraço e gratidão por acreditarem na Associação de todos os Profissionais de Organização e Produtividade.

Em 12 fevereiro de 2016, teremos a 1ª Assembleia de Eleições, quando serão eleitos os novos diretores da ANPOP, para o biênio 2016-2018.

A reunião de pessoas com o mesmo propósito é uma oportunidade ímpar para a promoção de um debate amplo e consciente sobre as mudanças e melhorias que precisam ser feitas.

Foi dada a largada, agora é continuar em frente. 

Nota: Os nomes citados receberam meu e-mail avisando desta publicação. 

Organização Digital


Eu quis aproveitar o período tranquilo de final de ano para organizar meus arquivos digitais. Comecei entusiasmada no dia 26 de dezembro, mas antes eu quis instalar o Windows 10 no meu notebook... Que trabalheira! Além de travar, a Internet simplesmente saiu do ar, sem possibilidade de me conectar. Todos os arquivos guardados na nuvem, sem chance de acessar!

Conclusão: o notebook precisou ser formatado e grande parte de meus programas foram desinstalados.  Agora o equipamento está restaurado, mais ainda faltam pequenos ajustes!


Esse tempo sem conexão, embora tenha me deixado aborrecida, foi uma boa chance de fazer a limpeza que me propus a fazer no HD externo (ainda recorro a esse acessório, pois se não tenho conexão em casa, não posso consultar o material salvo nas nuvens...). Eliminei pastas duplicadas e que continham documentos salvos que eu não mais iria usar. Diminuí bastante a quantidade de informações guardadas. Sobrou espaço no HD externo e o notebook agora só tem pastas que uso com mais frequência.


Foi um período de 10 dias, organizando arquivos.  Levei esse tempo todo porque eu quis ler os textos e e-books salvos por mim (Afinal, salvei para ser lido em alguma folga, certo?). Assim, pude recordar através desses textos, como também de fotos, os momentos marcantes ao longo do ano que passou...

Entre a organização digital e as pausas de descanso, organizei meus livros - alguns eu doei, outros levei para o Ecoponto. Descartei papeis que não tinham mais utilidade e preparei um pasta de arquivo 2016, para guardar as contas pagas, documentos importantes e acessíveis para consulta, principalmente na época de declaração de imposto de renda.  

Tudo pronto e o ambiente de trabalho organizado para começar o ano, sem me preocupar. 

Entendo um pouco de Organização Digital, mas não é minha especialidade. No mercado, existem Personal Organizers especializados nessa área. São profissionais capacitados para orientar e ajudar o cliente a organizar seus arquivos digitais. 

Consulte um Personal Organizer e conheça as vantagens de ter seus arquivos organizados! 


Esta imagem encontrei, enquanto organizava meus arquivos... 

Visualizações

Agradecimentos

Ari Hollaender - consultoria em Marketing

Marcadores

Voltar ao topo