Morar com desapego e viver de um jeito simples


Será que um apartamento ou casa pequena proporcionam conforto e aconchego para o morador? Você verá que um mobiliário planejado, aliado à organização, pode tornar um espaço reduzido num lugar agradável de se viver.

Imagem de casas pequenas geminadas ao longo da rua

A tendência das grandes cidades é viver em residências cada vez menores. As pessoas não querem mais ter raízes num mesmo lugar – querem viajar e ter moradia em lugares diferentes, sem se preocupar em ter que vender o carro, a bicicleta ou até mesmo o apartamento.

Pesquisas recentes mostram que no Brasil existem mais de 77 milhões de pessoas solteiras! Muitos moram sozinhos, trabalham fora e passam pouco tempo em casa. 

Quantos m² são necessários para se morar?

A marcenaria e a multifuncionalidade dos móveis são pontos fundamentais para a integração dos espaços, o que proporciona maior liberdade na distribuição dos cômodos e, em contrapartida, menor preocupação com a privacidade

Segundo uma reportagemdo programa Mundo S.A., do canal G1, sobre a especialização da Vitacon na concepção de apartamentos supercompactos, foram lançados em São Paulo, desde 2010, mais de 30mil apartamentos com menos de 40m², visando atender desde estudantes, jovens adultos e idosos, que preferem viver perto do trabalho e de serviços, e até moradores de outras cidades que ficam nas grandes cidades somente em dias úteis.  

A construtora Vitacon, por exemplo, projeta condomínios com apartamentos de 10m², que oferecem serviços nas áreas comuns como: Academia, Lavanderia e Cozinha compartilhadas, Coworking, Salas de Reunião e até Sala de Ferramentas. Pode-se, também, contar com bicicletas e carros compartilhados.

Esses são os novos termos que daqui para a frente, farão parte do vocabulário de quem está procurando um imóvel para comprar ou alugar, nas grandes cidades:

Compactos Inteligentes – apartamentos com metragem pequena, a partir de 10m².

Economia Compartilhada – a área comum do prédio é uma extensão da casa.

Mobiliário Inteligente – móveis com várias funcionalidades, sendo possível configurá-los para cada momento do dia (uma mesa vira escritório, depois de fechada consegue-se transformá-la para uma mesa de jantar e, uma vez recolhida, vira um ambiente de dormir).

Tecnologia Embarcada – torna tudo simples e fácil, como por exemplo a fechadura automatizada que se abre com um aplicativo no celular.

Central de Inteligência – pode-se controlar qualquer um dos aparelhos por voz ou apertar um botão de uma geladeira inteligente para fazer a lista de compras ou ver uma receita preferida.




E a organização dos espaços reduzidos, como fica?

Morar em residências compactas é um estilo de vida para quem vive nos centros urbanos. 

É necessário se desapegar dos bens e de ser uma pessoa acumuladora, passando a ser minimalista. Será preciso adaptar-se a ter menos e optar por uma vida mais simples.
Segundo o professor de Antropologia da USP José Guilherme Magnani, nos apartamentos supercompactos a casa se converte em um ‘refúgio’, um lugar de absoluta vivência individual.

Mesmo optando por ter residências menores, o incentivo ao consumo não diminui. Como resolver isso?

  • Parece óbvio, mas a principal ação é comprar menos porque ter muitas coisas não faz a pessoa melhor.
  • Esvazie os armários e escolha o que é essencial e o que vai manter, desde que caibam nos ambientes destinados para guardar, criando soluções para o espaço disponível.
  • O guarda-roupa cápsula é uma boa opção: o conceito é ter 36 peças de roupa, número suficiente para as 4 estações do ano. Vale tentar o desafio!

Imagem de roupas e acessórios, formando looks e compondo o guarda-roupa cápsula

  • Diminua para 2 ou 3 jogos de roupa de cama, mesa e banho, que atendem bem às necessidades: um jogo em uso, o outro na lavanderia e um de reserva.
  • Mantenha apenas 2 jogos de louça e talheres para até 4 pessoas, um jogo para o dia a dia e um para ocasiões especiais.
  • Estoque pequena quantidade de mantimentos, calculando que dure por uma semana. 
  • Conserve o material de higiene e de limpeza, apenas os que estão abertos e, conforme forem acabando, preencha na lista de compras, assim facilita da próxima vez em que for ao mercado.
  • Utilize como arquivo uma pasta classificadora de A a Z ou de 01 a 31 para documentos pessoais, contas a pagar e contas quitadas – ocupa pouco espaço e mantém todos os papéis juntos para consulta, quando precisar.
  • Quando os cômodos são pequenos, o uso de um espelho dá maior amplitude aos espaços. Poucos objetos sobre mesas e balcões facilitam a conservação e limpeza dos ambientes.

Há de chegar o dia em que a solução de moradia será como nos desenhos de Hanna-Barbera ‘Os Jetsons’ com suas cidades flutuantes – hoje, já existem roupas sendo confeccionadas à base da nanotecnologia, refeições balanceadas e desidratadas, carros elétricos sem motorista... Só falta, então, a construção de casas compactas no espaço aéreo.   

A falta de imaginação é o maior limitador, e não a metragem. Veja as dicas de Darlene Bertolini de como tornar apartamentos pequenos funcionais e práticos.



Ficou difícil organizar sua nova moradia supercompacta? Uma Personal Organizer está apta a te ajudar. Chame Yorganiza para apresentar a você soluções para seus problemas de organização!


Meu abraço,

Yolanda Hollaender


Sócio-fundadora da ANPOP e membro do ICD
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

0 comentários. Clique aqui para comentar.:

Postar um comentário

O que você achou da postagem?
Dúvidas em organização?
Deixe aqui seu comentário!

Visualizações

Agradecimentos

Ari Hollaender - consultoria em Marketing

Marcadores

Voltar ao topo